•  
     

Como um programador usou um teclado hexadecimal e folhas de papel para criar um programa em 1985

1.png

Você consegue imaginar como era programar uma máquina para colocar rótulos em produtos em 1985? John Graham-Cumming sabe bem como é, e descreveu uma experiência que teve há 28 anos.

Graham-Cumming escreveu em seu blog sobre um projeto que o colégio técnico em que ele estudava foi contratado para desenvolver – e, consequentemente, ele participou. Uma empresa queria criar um programa para rotular produtos e precisava que eles fossem perfeitamente alinhados.

A máquina em questão usava controles eletromecânicos e eles não eram muito flexíveis, o que dificultava o trabalho. A escola onde Graham-Cumming estudava foi contratada para criar um sistema computadorizado usando uma placa KIM-1 com um microprocessador 6502.

2.png


Enquanto outro estudante juntava a máquina a uma transportadora, encarregada de levar os rótulos e controlar os motores e sensores infravermelhos que detectavam os produtos, Graham-Cumming ficou com a árdua tarefa de criar um software em Assembly.

O problema é que a KIM-1 tinha apenas um teclado hexadecimal e uma pequena tela. Ele escreveu todos os códigos em um papel e digitou um a um. Eis um dos papeis com os códigos:

3.jpg


“É claro que programar desse jeito é duro. Você primeiro precisa escrever o código (o azul), então transformá-lo em código para máquina (vermelho) e trabalhar locais de memória para cada instrução. Naquela época eu não tinha uma calculadora capaz de fazer as conversões hexadecimais, então eu fiz a maior parte dos cálculos necessários.”


Ele disponibilizou o programa completo no Google Docs, e se você estiver interessado em conferir, veja aqui. Casos como esse são interessantes para notar como a tecnologia evoluiu e se tornou bastante complexa, mas também criou formas de facilitar a vida de programadores. É bem difícil pensar em alguém tendo que copiar códigos escritos à mão em um teclado hexadecimal hoje em dia.

Fonte