•  
     

empresa que vendia conversas do WhatsApp

Já imaginou como seria se alguém “roubasse” as suas conversas do WhatsApp e vendesse para outra pessoa? É exatamente isso que o site Cartório Virtual fazia.

Além de vender conversas alheias feitas via o aplicativo, também era possível comprar outras informações, como CPF, CNPJ, listas detalhadas de ligações telefônicas e localização de bens e pessoas.

Para ter acesso às conversas de WhatsApp, era preciso pagar a bagatela de 4 mil reais. E não pense que era preciso muito para a espionagem começar, bastava o número do celular da pessoa para saber exatamente tudo o que ela conversava.

Para a busca de imóveis por nome e CPF eram cobrados 298 reais, já para saber para quem a pessoa tinha ligado e em que horários, era preciso pagar 365 reais.

Imagem

Se você ficou com medo de alguém ler as suas conversas do WhatsApp ou ter acesso a outros dados, não se preocupe. O Cartório Virtual já está na mira do Ministério Público.

O site está sendo investigado por violar o direito à intimidade e a vida privada das pessoas. Além disso, a quebra de sigilo telefônico sem autorização da justiça também é considerado crime.