•  
     

Entenda alguns dos motivos do suicídio do baixista Champignon

O músico Luiz Carlos Leão Duarte Júnior, o Champignon, que foi achado morto aos 35 anos de idade em São Paulo na madrugada desta segunda-feira (9), chegou a fazer ao menos duas declarações de pobreza à Justiça. A alegação do músico é que ele não tinha condições financeiras para arcar com custos de processos por dívidas que contraiu, a maioria por bens que adquiriu e não conseguiu pagar, nem dinheiro para pagar advogados para defendê-lo.
Levantamento do G1 feito com base em dados do site do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) mostram que o ex-baixista da banda Charlie Brown Jr. aparece em ao menos dez ações em fóruns de cidades como Santos, onde nasceu, São Vicente e na capital paulista. Em sete desses processos, o artista aparece como réu.

Segundo a lei nº 1.060, considera-se pobre judicialmente quem não consegue pagar as custas do processo e do advogado “sem prejuízo do sustento próprio ou da família”. Nessas dez ações, Champignon teve oito advogados.
Para a Polícia Civil, Champignon se matou ao usar uma pistola 380 para atirar contra a própria cabeça após discutir com a atual mulher, a cantora Cláudia Bossle Campos, de 32, que está grávida de cinco meses de uma menina. O corpo do artista foi encontrado no escritório do apartamento onde morava com a mulher, na Zona Sul.
Segundo o SPTV, o delegado-geral da Polícia Civil, Luiz Maurício Blazeck, afirmou que um dos motivos da discussão eram problemas financeiros. O 89º Distrito Policial, no Portal do Morumbi, investiga o caso como suicídio e tenta saber quais foram as motivações para o crime.
Em 2006, um ano após sair brigado do Charlie Brown Jr. por divergências com Chorão, Champignon redigiu “declaração de pobreza” de próprio punho para solicitar à Justiça um defensor público para atuar gratuitamente. Ele movia duas ações contra os colegas: de R$ 650 mil contra Chorão e de R$ 100 mil contra a banda para que ela não associasse mais sua imagem ao grupo. O baterista Renato Pelado era co-autor da ação de R$ 100 mil contra o líder do grupo e o produtor musical Rick Bonadio.

Maiores informações na fonte : http://g1.globo.com/sao-paulo/musica/no ... breza.html
 
mulher e isso so ta feliz quando tem DIM DIM !