•  
     

Era Dinamite tem média de um técnico a cada cinco meses

Favorito para substituir Autuori, Dorival Junior é um dos 12 treinadores que passaram pelo banco de reservas nos cinco anos do presidente no Vasco
Imagem
Dorival: único na era Dinamite a ficar um ano inteiro
(Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
Com cinco anos de gestão à frente do Vasco, o presidente Roberto Dinamite agora lança mão de um dos 12 treinadores que passaram pelo clube em sua gestão para voltar aos trilhos nesse tumultuado 2013 em São Januário. O escolhido é Dorival Junior, que, aliás, tem outra marca no Vasco de Dinamite. Além do título da Série B em 2009, ele foi o único treinador a trabalhar um ano inteiro, do início ao fim, no clube. A média é de um treinador a cada cinco meses (ou 2,4 por ano) sob o comando do atual presidente. Dorival tem reunião marcada nesta quarta com o diretor de futebol do clube, Ricardo Gomes.

Quando Dinamite assumiu o cargo, em julho de 2008, o treinador era Antônio Lopes, que vinha na função desde o antecessor, Eurico Miranda. Pouco depois, com a má campanha, Dinamite o demitiu e chamou Tita, ex-jogador de Flamengo e Vasco e com pouca experiência como técnico. Não durou até o fim do campeonato. Renato Gaúcho ainda conseguiu uma pequena reação do time, que terminou rebaixado pela primeira vez em sua história para a Segunda Divisão do Brasileiro.
Imagem
Dorival Junior chegou após uma boa passagem pelo Coritiba, também na Segundona, e ficou todo o ano de 2009, conquistando o título Brasileiro da Série B. Ao fim do contrato, clube e treinador não chegaram a um acordo. Renato e Dorival foram os únicos treinadores da era Dinamite que conseguiram chegar ao fim do contrato sem serem demitidos e não permaneceram no clube.

Paulo Autuori não foi o único a pedir demissão nesse período. Celso Roth, em 2010, foi contratado para substituir Gaúcho e saiu depois de um mês, com proposta para disputar a Libertadores pelo Inter. Cristóvão Borges substituiu em 2011 Ricardo Gomes, vítima de AVC, e teve o contrato renovado para o ano seguinte. Mas decidiu sair após perder a base do time que ganhou a Copa do Brasil de 2011 e jogou a Libertadores de 2012. No seu último jogo, sofreu uma goleada de 4 a 0 em São Januário para o Bahia - por coincidência, seu atual time. O seu sucessor, Marcelo Oliveira, também pediu para ir embora após desastrosas seis derrotas consecutivas na reta final do Brasileiro do ano passado.

Na lista de demitidos, além de Antônio Lopes e Tita (2009), aparecem Vagner Mancini (2010), Gaúcho (2010 e 2013, nas duas oportunidades em que foi efetivado depois de assumir a equipe como interino) e Paulo César Gusmão (2011).


http://globoesporte.globo.com/futebol/times/vasco/noticia/2013/07/era-dinamite-tem-media-de-um-tecnico-cada-cinco-meses.html