•  
     

[Tecnologia] Intel contribui no sistema brasileiro de identificação eletrônica de veículos

A Intel anunciou durante o Intel Press Summit 2013 o desenvolvimento de uma solução completa para identificação eletrônica de veículos, especialmente adaptado para as necessidades brasileiras, em parceria com a AUTOFIND, empresa brasileira especializada em sistemas de transporte inteligente.

A novidade é o primeiro passo na construção de um sistema avançado para atender às demandas do projeto SINIAV (Sistema de Identificação Automática de Veículos) do Governo Brasileiro. Ele integra um aparelho ao veículo, o transponder com tecnologia RFID, que tem um número único de identificação, integrado aos documentos do motorista.

Sensores nas ruas fazem a leitura conjunta da tag eletrônica, que será obrigatória, e da placa do carro. A Intel trabalha "de ponta a ponta" no sistema, fornecendo desde tecnologia para os sensores dos automóveis até a computação de alto desempenho e os bancos de dados necessários para processar as informações.

Imagem
Palestra de Max Leite, diretor de inovação para o Brasil, no Intel Press Sumit 2013

A ideia é ajudar a solucionar alguns problemas do país, como explica Max Leite, diretor de inovação da Intel para o Brasil. Durante o evento, ele lembrou que as iniciativas nesse segmento começaram com o Posto do Futuro, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, "onde os sistemas inteligentes eram capazes de identificar um veículo e oferecer opções de serviços que estivessem de acordo com o perfil do motorista."

O SINIAV é baseado na plataforma WISP (Wireless Identification and Sensing Platform), sistema RFID desenvolvido pelo Intel Labs em colaboração com a Universidade de Washington e o MIT e adaptado para as necessidades brasileiras pela Intel.

Imagem

“A Intel tem investido em tecnologia para resolver dois grandes problemas do Brasil, a mobilidade urbana e o transporte de cargas", afirma Leite. “São projetos de inovação local, em que a Intel auxilia empresas brasileiras com transferência de tecnologia e conhecimento para criar projetos 'sob medida' para atacar os grandes problemas do país.”

A solução recebeu certificação da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo – ARTESP – e já está sendo testada por Operadoras de Serviços de Arrecadação e concessionárias de rodovias, em aplicações como pedágio eletrônico com tecnologia RFID de 915 MHz.

Fonte