•  
     

Nintendo deverá pagar US$ 15,1 milhões em processo de patente pelo 3DS

Imagem


A Nintendo terá que pagar US$ 15,1 milhões ao ex-funcionário da Sony que alegou que o videogame 3DS infringia a sua patente de tecnologia 3D, reportou a Bloomberg.

O valor é metade dos US$ 30,2 milhões que o queixoso Seijiro Tomita havia ganhado na etapa anterior do processo, em março.

"A recompensa pelos danos dada pelo júri era pelo menos duas vezes maior do que a quantia que um júri sensato poderia ter concedido baseado nas evidências apresentadas no julgamento e, desse modo, deve ter envolvido o grau de excessiva especulação que choca a consciência judicial", declarou o Juiz Distrital Jed Rakoff, em Manhattan, nos EUA.

O juiz deu a Seijiro Tomita e sua empresa a opção de aceitar os US$ 15,1 milhões em danos ou realizar um novo julgamento (que poderia ou não terminar com uma recompensa pelos danos).

"A Nintendo irá apelar do veredicto do júri da recompensa por danos reduzida", disse Charlie Scibetta, diretor sênior de comunicação corporativa da Nintendo da América.

Processo milionário

Segundo os advogados, Tomita mostrou um protótipo de sua tecnologia a sete representantes da Nintendo em 2003, dos quais quatro viriam a fazer parte da equipe de criação do 3DS.

A defesa da Nintendo alega que o 3DS não utiliza aspectos fundamentais do projeto de Tomita. Alegam também que a reunião com funcionários da Nintendo realizada em 2003 foi apenas uma das diversas que a empresa teve com pessoas vendendo tecnologias 3-D.

Tomita, que trabalhou para a Sony por quase 30 anos antes de se demitir em 2002, processou a Nintendo em junho de 2011. Ele alegou que deveria receber US$ 9,80 para cada 3DS vendido, o que chegaria a uma quantia por volta de US$ 320 milhões, já que o Nintendo 3DS vendeu até hoje cerca de 32,8 milhões de unidades


Fonte
Créditos: mma