•  
     

Os lugares mais alucinantes que podemos visualizar com o Street View

As férias ainda não chegaram, mas você pode começar a viajar desde já, visitando lugares pitorescos pelo Google Street View.

Imagem
(Fonte da imagem: ShutterStock)


Durante o surgimento da internet, havia muita discussão em torno do turismo virtual, ou seja, a possibilidade de “viajar” sem sair de sua cidade ou até mesmo de sua casa, usando a internet ou ambientes de realidade virtual para isso. A princípio, a ideia não foi tão bem-sucedida quanto todos esperavam, mas ainda assim há implementações muito bacanas disponíveis ao alcance de todos.

Além de quiosques ou de páginas que simulam o interior de edifícios famosos, como museus e organizações de interesse geral, o turismo virtual também pode ser praticado por meio de sistemas como o Twinity, que pretende criar modelos virtuais muito realistas das principais cidades do mundo.

Mas há uma ferramenta bem mais popular e que propicia certos passeios virtuais pelo navegador web instalado em seu computador ou tablet: o Google Street View. Incorporado ao Google Maps, esse recurso permite que alguém “caminhe” por uma cidade com bastante praticidade. E para facilitar as suas “férias”, preparamos abaixo uma lista dos lugares mais alucinantes que você pode visitar com pouco esforço e uma conexão à internet.

1. Castelo do Conde Drácula

O Castelo de Bran, na Romênia, é uma fortaleza que se situa entre a Transilvânia e a Valáquia, próxima à estrada 73. Popularmente, esse belo monumento é conhecido como “Castelo do Drácula”: dizem que ele foi uma das residências do príncipe Vlad Tepes, antigo governante da Valáquia que inspirou Bram Stoker a criar um dos personagens famosos do mundo do terror, o Conde Drácula.

Imagem
(Fonte da imagem: Reprodução/Google Street View)


Atualmente, esse castelo funciona como um museu e abriga peças de arte e móveis colecionados pela Rainha Maria. Há também um pequeno parque aos fundos do imóvel e até mesmo passagens secretas que interligam andares mais distantes. Por via das dúvidas, carregue sempre um dente de alho e uma estaca de madeira para ficar mais seguro, mesmo que o passeio seja virtual.

E lembre-se: caso você veja algo brilhando nas imagens do Google Maps, pode ser que o vampiro em questão seja Edward Cullen, e não o Drácula.

2. Cúpula da Bomba Atômica

A explosão atômica de 6 de agosto de 1945, na cidade de Hiroshima, no Japão, teve seu hipocentro localizado a apenas 150 metros da Cúpula Genbaku, um edifício construído em 1915 pelo arquiteto tcheco Jan Letzel. Na ocasião, o prédio resistiu bravamente, mantendo sua estrutura bastante preservada.

Imagem
(Fonte da imagem: Reprodução/Google Street View)


Enquanto a cidade era reconstruída, houve muita discussão a respeito do prédio reminiscente. Enquanto alguns eram a favor de sua derrubada, outros gostariam de mantê-lo em pé como uma espécie de memorial sobre o acontecimento trágico da região. Em 1966, a cidade declarou a intenção de preservar o prédio e batizá-lo de “Memorial da Paz de Hiroshima” ou “Cúpula da Bomba Atômica”.

Três décadas depois, o monumento foi registrado como Patrimônio Mundial da UNESCO e você pode vê-la pelo Google Maps.

3. A cabana de Scott

Essa choupana construída na costa norte do Cabo Evans, na Ilha de Ross, foi erguida por Robert Falcon Scott, em 1911, quando o oficial fazia parte da expedição Terra Nova, organizada pelo império Britânico em 1910 com o objetivo de explorar a Antártida. Scott, que liderava a missão, esperava ser o primeiro homem a pisar no Polo Sul, mas seus planos “esfriaram” quando chegaram ao destino e verificaram que um grupo norueguês, liderado por Roald Amudsen, já havia estado na região um ano antes.

Imagem
(Fonte da imagem: Reprodução/Google Street View)


De qualquer forma, a cabana ainda está lá e apresenta uma conservação incrível. Pelo Street View você poderá até mesmo caminhar por dentro dela, notando seus cômodos e os objetos deixados por Scott desde então. Não deixe de conferir esse local histórico e, como desafio, tente encontrar um pinguim empalhado dentro do imóvel.

4. Procurando Nemo na Grande Barreira de Coral

Cansou de viajar em terra firma? Não tem problema: com o Street View você também pode bancar o mergulhador nos mares australianos e visitar a Grande Barreira de Coral. Basta acessar as coordenadas exatas para ver não apenas a entrada para essa maravilha natural, mas também conhecê-la de perto, mergulhando virtualmente.

Imagem
(Fonte da imagem: Reprodução/Google Street View)


Além dos corais, há inúmeros cardumes de peixes e algumas tartarugas marinhas pelo mar. Caso você encontre Nemo e Dory passeando pelo local, não se esqueça de divulgar a URL nos comentários.

5. Mina de Prata de Iwami Ginzan

Classificada pela UNESCO como patrimônio mundial, essa mina fica na província de Shimane, no Japão, e teve sua exploração iniciada desde o ano de 1526. Durante o século 17, cerca de 38 toneladas de prata eram retiradas anualmente de seu interior, equivalendo a um terço da produção mundial do minério.

Imagem

Depois de 400 anos de funcionamento, a mina é hoje mantida pelo governo japonês como local histórico e aberto para visitação. Como se não bastasse, o Google deu um passeio pelo interior e divulgou as imagens pelo Street View. Portanto, não deixe de conhecer um pouco desse local centenário.

6. Trilha pela floresta amazônica

O ponto geográfico mais famoso do nosso país também está registrado pelas câmeras do Google Street View. Quem estiver interessado em fazer uma trilha pela floresta amazônica pode começar agora mesmo, sem a necessidade de guia e sem o perigo de se perder.

Imagem

Vale a pena prestar atenção na vegetação da floresta e, de vez em quando, ampliar a imagem na expectativa de encontrar algum inseto ou objeto curioso.

Outro passeio virtual em território nacional é feito pelas águas do Rio Negro, o mais extenso rio de água negra do mundo e o segundo maior afluente da margem esquerda do Rio Amazonas.

Imagem

Apesar de o passeio não ser muito grande, o Google Street View consegue passar uma boa impressão de como é imenso esse rio, mostrando apenas um curto trecho dos 1.700 km totais do afluente. Para visões espetaculares da região, consulte o post no blog do Google sobre esse passeio amazônico. Você pode até mesmo encontrar criaturas da floresta saltando na câmera.

Bônus: Ferrovia Transiberiana

Quem gosta de trens ou simplesmente de viajar já deve ter ouvido falar da famosa ferrovia Transiberiana. E não faltam razões para isso: além dos mais de 9,2 mil quilômetros de extensão, a estrada cruza a Rússia, ligando Moscou a Vladivostok. O trajeto é realizado em oito dias e, na ocasião, o turista passa por 12 regiões, 87 cidades e muita beleza natural.

Imagem

Um tempo atrás, a Google se uniu à Russian Railways e desenvolveu um “pacote” turístico que pode ser facilmente aproveitado por quem ainda não conseguiu investir em uma viagem até a Rússia. Para isso, basta acessar o site do projeto e se divertir com os inúmeros vídeos e as muitas fotos e informações que compõem o site.

Apesar de não ser exatamente um turismo feito pelo Street View, podemos garantir que a viagem é muito divertida. Não se esqueça de sintonizar uma rádio russa listada na página para aproveitar melhor a experiência.

Fonte: Moscow-Vladivostok: virtual journey, The Telegraph, Google Blog, Travel Freak
 
Nossa impressionante esse Street View