•  
     

Palmeiras PARTE-4 FINAL

Valdivia
Em 2008, o Palmeiras fecha acordo com a Traffic e troca de patrocinador. Com a saída da Pirelli, entra a montadora automotiva Fiat, que patrocina a parte da frente e as costas das camisetas. O Palmeiras também fechou contrato com um patrocinador para as mangas do fardamento: as tintas Suvinil. Com a parceria da Traffic, o Palmeiras passou a investir mais em jogadores, já que tinha a sua disposição cerca de R$ 40 milhões. O clube contratou o técnico Wanderlei Luxemburgo, entretanto, este não foi pago pela Traffic.[20] Com um time renovado e liderado pelo meia chileno Valdívia em grande fase, o Palmeiras conquistou, no dia 4 de maio, após um jejum de 12 anos na competição, o Campeonato Paulista de 2008, vencendo a Ponte Preta por um resultado agregado elástico de 6 a 0 (1 a 0 e 5 a 0).[21] Alguns dias antes de ganhar o título, o clube é eliminado da Copa do Brasil pelo Sport após empatar, no Palestra Itália, por 0 x 0 e ser goleado por 4 x 1, na Ilha do Retiro. No Campeonato Brasileiro de 2008, a equipe de Luxemburgo, despontou como uma das favoritas ao título, mas, já sem contar com o Valdívia, encerrou a competição na quarta colocação, que garantiu classificação para a primeira fase da Taça Libertadores da América do ano seguinte. Nesse período a torcida, em busca de esperança, a torcida fez seus ídolos: Kléber, Valdívia e Pierre são os principais.
[editar]Dois anos para esquecer
Em 2009, o alviverde iniciou a temporada com grandes mudanças, dispensando vários jogadores e contratando jovens revelações. A maior delas foi o atacante Keirrison, que marcou 13 gols nas 10 primeiras partidas que realizou com a camisa do Palmeiras, agora, patrocinada pela Samsung. A equipe alviverde surpreendeu a imprensa especializada no Campeonato Paulista com a melhor campanha na primeira fase, mas foi eliminada nas semifinais pelo Santos. Na Libertadores, oscilou com apresentações que mostraram a inexperiência dos jovens atletas nos jogos em casa, mas se superou em diversas apresentações na casa dos adversários, especialmente nos jogos contra o Colo Colo, do Chile, quando buscou uma classificação para as oitavas-de-final nos últimos minutos de jogo (gol de Cleiton Xavier), e contra o Sport Recife, já nas oitavas, quando eliminou a equipe pernambucana nos pênaltis, com três defesas do goleiro Marcos. O Palmeiras foi desclassificado nas quartas-de-final pelo Nacional, depois de empatar por 1 a 1 em casa e por 0 a 0 no campo da equipe uruguaia. No Campeonato Brasileiro, já sob o camando do técnico Muricy Ramalho, o alviverde liderou a competição durante 19 rodadas, mas não conseguiu manter o desempenho na reta decisiva e sequer se classificou para a Copa Libertadores, ficando na quinta colocação e frustrando sua torcida.


Marcos Assunção
Em 2010, o clube manteve a maior parte do elenco da temporada anterior e obteve um desempenho pífio no primeiro semestre, ficando em apenas 11º lugar do Campeonato Paulista e sendo eliminado nas quartas-de-final da Copa do Brasil, pelo Atlético Goianiense. Nessa primeira metade do ano, o time passou por trocas de técnicos e nem mesmo o campeoníssimo Muricy Ramalho escapou da demissão. Além disso, houve desgaste na relação de alguns jogadores e a torcida, especialmente na polêmica envolvendo o meia Diego Souza, que saiu do clube, após retrucar ofensas de torcedores. O atraso do início das obra em seu estádio foi mais um problema enfrentado pela diretoria ao longo desse ano. O segundo semestre do alviverde tinha tudo para ser melhor com a vinda de ídolos do passado como o técnico Felipão, o atacante Kléber e Valdívia. O novo treinador disse que tinha um elenco limitado e faria um trabalho visando a temporada de 2011. Demorou um pouco para conseguir encaixar a equipe, mas ele conseguiu uma boa sequência de vitórias no nacional e uma classificação emocionante nas oitavas-de-final da Copa Sul-Americana, quando o volante Marcos Assunção fez o gol consagrador nos minutos finais contra o Vitória, reascendendo a esperança da massa palmeirense de obter um título internacional novamente. Contudo, o elenco "abandonou" o Campeonato Brasileiro muito cedo e foi tragicamente eliminado da Copa Sul-Americana nas semifinais da competição, contra o Goiás, frustrando mais uma vez sua torcida, que viu sua equipe encerrar a primeira década do milênio de uma maneira bem menos vitoriosa do que o final do século XX.
[editar]2011-Atualmente
[editar]Início ruim da nova década
O primeiro ano da segunda década do terceiro milênio não foi muito diferente dos dois últimos anos da década anterior. No Campeonato Paulista de 2011, a equipe até fez uma boa campanha na primeira fase, empatando em pontos com o líder São Paulo, mas ficando na segunda posição por conta apenas do número de vitórias. Na semifinal, disputada em jogo único contra o arquirrival Corinthians, o alviverde lutou, mas não conseguiu avançar à final. Com arbitragem polêmica do juiz Paulo César de Oliveira, o Palmeiras jogou a maior parte da partida com um jogador a menos, já que o zagueiro Danilo foi expulso por carrinho violento sobre o centroavante corintiano Liédson. Apesar da adversidade e também da expulsão do técnico Luis Felipe Scolari, o Palmeiras dominou a partida e fez o primeiro gol, aos 7 minutos do segundo tempo, com o zagueiro Leandro Amaro. O Corinthians, por sua vez, empatou o jogo aos 19 minutos, com gol do atacante William. A decisão foi para os pênaltis. Nas cobranças, o goleiro corintiano Júlio César defendeu a sexta cobrança, do jogador palmeirense João Vítor, e o peruano Ramirez acertou a cobrança alvinegra, classificando a equipe às finais do campeonato e quebrando um tabu do Corinthians, que nunca havia eliminado o arquirival por meio de cobranças de pênalti[22]. Poucos dias depois, nas quartas-de-final da Copa do Brasil, o Palmeiras fez uma partida irreconhecível e foi impiedosamente goleado pelo Coritiba por 6 a 0, em Curitiba. No jogo de volta, tentou reverter o placar, mas não passou de um 2 a 0, que resultou na eliminação da equipe na competição. No Campeonato Brasileiro, a equipe começou bem, mas, depois de uma polêmica envolvendo o atacante Kléber, que exigia maior reconhecimento salarial, o grupo passou por uma má fase durante boa parte da competição, incluindo aí a dispensa do atacante pelo técnico Luis Felipe Scolari. Nas rodadas finais, até se recuperou com gols salvadores do volante Marcos Assunção, mas não passou de um 11º lugar no campeonato
 
Verdãaoo :icon_mrgreen:
 
¬¬'' que texto em kkk'
 
1 hora digitando isso do livro aqui !!!!
 
que palmeiras oq rapá hushushushuhuuhsuhshushusus :icon_lol: :icon_lol: