•  
     

Review: Nokia 808 PureView e a impressionante câmera de 41 megapixels

Daniel Junqueira

A Nokia fez barulho quando anunciou o 808 PureView. Trata-se de um smartphone com uma câmera de 41 megapixels em tempos em que câmeras de 8 megapixels são as mais comuns nos principais dispositivos do mercado.

A câmera é o principal recurso do 808 PureView e não poderia ser diferente. Afinal, é um telefone que roda o Symbian em 2012, uma plataforma cada vez mais esquecida por desenvolvedores e que já não tem mais espaço no mundo de Androids e iPhones - a própria Nokia já aposta mais no Windows Phone em sua linha Lumia que no velho sistema móvel.

Até por isso é difícil avaliar o PureView em relação aos dominantes do mercado. Em certos pontos ele parece mais uma câmera com funções de celular do que o contrário. E, para tirar fotos, ele é excelente.

Design

O 808 PureView é bonito. Ele tem um design arredondado parecido com alguns smartphones da própria Nokia. A tela tem 4 polegadas e usa as tecnologias AMOLED 2.5D e Gorilla Glass - essa última para torná-la mais resistente a arranhões.

O aparelho é meio grande: tem 12,3 cm x 6 cm, e sua parte mais fina tem 1,3cm de espessura. Já a parte mais grossa do dispositivo tem 1,8cm e é consideravelmente maior por ser o lugar em que fica a câmera.

Esse espaço para a lente ainda torna o celular bastante pesado - 169 gramas, comparado a 140 gramas do iPhone 4S 3 133 gramas do Galaxy S III. A distribuição do peso do dispositivo é desproporcional - a parte com a câmera é mais pesada que o resto do celular.

Hardware

No geral, o hardware não está entre os destaques do celular. O 808 PureView tem um processador de 1,3 GHz e 512MB de RAM. A câmera conta com um processador dedicado Broadcom BCM2763 GPU. Isso faz todas as funções relacionadas às fotos extremamente suaves no aparelho.

Uma questão importante, principalmente quando se fala de fotografia em altíssima definição, é o armazenamento. As fotos na resolução máxima podem chegar a ter 10MB, e, por isso, bastante espaço é sempre bem-vindo. O 808 PureView tem 16GB internos, com a possibilidade de aumentar esse espaço com cartões microSD de até 32GB.

A câmera de 41 megapixels tem lentes Carl Zeiss, como em outros celulares da Nokia. A resolução máxima das fotos é de 7728x4354 pixels e ela tem zoom digital de 4x, distância focal de 8 mm e alcance de operação do flash de 4m.

Software

O 808 PureView roda a mais recente versão do Symbian, chamado de Nokia Belle. Como é de se esperar do Symbian, o sistema é bastante limitado principalmente em comparação com Android e iOS, mas tem alguns recursos interessantes. Softwares como o Nokia Mapas e o GPS Nokia Dirigir, que também estão disponíveis no Lumia 900, também aparecem no 808.

A parceria com a Nokia, que resultou nos smartphones Lumia, também rendeu frutos ao 808 PureView. O aparelho conta com o Office Mobile, permitindo aos seus usuários criar, editar e compartilhar documentos do Word, Excel, One Note e Power Point direto do celular.

Câmera

O principal recurso é a câmera de 41 megapixels e ela é excelente, com recursos que facilitam a vida dos menos entendidos de fotografia ao mesmo tempo que pode ser personalizada para atender às necessidades daqueles que são mais exigentes na hora de tirar uma foto.

O app da câmera pode ser aberto com facilidade a qualquer momento. Apertar o botão dela, mesmo com o telefone bloqueado, vai abrir o aplicativo.

São três modos para tirar as fotos. O padrão é o Automático, com configurações pré-definidas que não podem ser modificadas. Nesse modo, as fotos são tiradas em 5 megapixels.

Já o modo "Cenas" abre mais possibilidade de personalizar e é indicado para usuários intermediários. É possível escolher entre nove configurações voltadas para ambientes diversos: seja para tirar uma foto no escuro, ou na neve, ou com luzes de holofotes.

Nesse modo, como o próprio smartphone explica, o usuário tem mais liberdade de escolher como vai tirar foto, mas é a câmera que escolhe as configurações. Assim, se você quiser tirar uma foto à noite, por exemplo, a câmera vai usar uma configuração pré-definida que melhore a qualidade das imagens mesmo na ausência de luz natural.

O outro modo, o criativo, é para usuários avançados e permite mexer em tudo na câmera. Dá para mexer no ISO, brilho, contraste, exposição e aplicar filtros. E é nesse modo que é possível ativar a resolução máxima da máquina fotográfica, os 41 megapixels. As fotos tiradas nesse modo ficam com resolução de 7728x4354 e extremamente detalhadas.

A foto abaixo foi tirada da janela da redação do Olhar Digital. Clique para ver a versão em resolução máxima. A imagem é pesada: tem quase 5MB!

Ela não foi tirada por nenhum fotógrafo profissional e dá para perceber o vidro da janela. Mas ainda assim é bastante surpreendente ver os detalhes notados ao fundo da imagem.

Conclusão

Não é muito justo comparar o 808 PureView com outros smartphones do mercado - afinal, é a mesma coisa que colocar o Symbian em igualdade com iOS e Android. O preço sugerido pelo aparelho pode fazer parecer que ele é topo de linha, já que os R$ 2 mil cobrados não diferem muito do preço de um Galaxy S III ou um iPhone 4S. Mas o PureView é para outro público.

Comparar com câmeras compactas também não é indicado. Além do diferencial do PureView também ser um celular, as máquinas dedicadas a fotos contam com muitos recursos profissionais que o aparelho da Nokia não oferece, apesar de todas as qualidades do app da câmera dele.

Quem gosta de tirar fotos com qualidade e quer também um telefone vai ficar bastante satisfeito com o que o dispositivo oferece. Afinal, mais do que um celular com câmera, ele é uma excelente câmera fotográfica que também faz ligações.

http://olhardigital.uol.com.br/home.php
Anexos
23.jpg
21.jpg
20.jpg
Recursos fotográficos do smartphone compensam a opção da Nokia por usar o Symbian
 
tem ate uma lombadinha onde fika a camera kkkk
c loko 41 mp