•  
     

The Walking Dead Survival Instincts é candidato a pior jogo do ano

The Walking Dead: Survival Instinct, jogo para PC, PS3 e Xbox 360, é mais um título baseado no popular HQ, que por sua vez gerou uma das séries mais assistidas da TV atualmente. Mas o que deveria ser uma grande homenagem aos fãs, acabou se mostrando um fiasco. Entenda os motivos:

Imagem

Dando murro em ponta de faca

Jogos baseados em séries e filmes raramente obtiveram sucesso no mundo dos games. Parece uma espécie de maldição, mas que, por pura estratégia comercial de grandes produtoras, a prática ainda é muito comum. Desta vez não foi diferente, pelo contrário, The Walking Dead: Survival Instinct é mais uma prova de que a indústria dos games precisa se reinventar em relação a adaptações.

A proposta do jogo soa interessante, principalmente pelo sucesso que o personagem Daryl faz entre os fãs de The Walking Dead. Mas infelizmente pouca coisa relevante é apresentada, principalmente para esses que acompanham a série e estão em busca de eventos paralelos ao que é apresentado na TV.


Imagem

Uma missão: sobreviver!

The Walking Dead: Survival Instinct conta com uma campanha principal baseada na sobrevivência dos personagens. Durante todo o jogo, você deve buscar alternativas para cumpri seu objetivo. Ou seja, se sua missão é obter mais combustível, você deve desenvolver uma estratégia para isso, seja buscando o combate direto com os zumbis, ou traçando rotas em que possa agir sem chamar atenção dos inimigos.

A campanha também conta com outros momentos em que é preciso pensar antes de agir. Escolher seu próximo caminho exige que o jogador opte por um caminho mais rápido e perigoso, do que um outro maior e mais cauteloso. Isso porque os recursos do game são escassos, desde o combustível para viajar entre as regiões, até as munições, granadas e outros artefatos de combate.


Imagem

E não ache que você estará sozinho nessa. Ao longo da história, outros personagens surgem para auxiliá-lo, mas a sobrevivência deles depende de suas ações. Ou seja, antes de enviá-los para buscar mais mantimentos ou munições, é preciso saber o quanto isso será arriscado para eles. Muitas vezes a melhor estratégia é ser o grande salvador do grupo.

Gráficos medonhos

Visualmente, The Walking Dead: Survival Instinct é decepcionante. A começar pela ambientação do jogo, que se mostra repetitiva e sem muitos detalhes. As construções não possuem qualquer capricho e lembram jogos da geração passada, com paredes lisas e sem qualquer sinal de desgaste – o que é esperado em um jogo sobre um apocalipse zumbi – e o interior de boa parte dessas localidades não são exceções. Por exemplo, você já viu uma loja com duas ou três prateleiras apenas?

Até mesmo os grandes coadjuvantes do jogo deixam a desejar. Os zumbis, que deveriam assustar e causar uma certa apreensão durante seus ataques, são uma verdadeira piada. Muitos possuem uma aparência até mesmo engraçada e há pouca variação entre os monstros apresentados. A única vantagem é a forma aleatória com que eles surgem, o que acaba criando um desafio a mais.


Imagem

Só os personagens escapam deste fiasco. Mesmo mais detalhados, eles estão longe de serem dignos de representação virtual. Merle e Daryl possuem os mesmos traços dos atores da vida real, mas a falta de recursos na hora de executar expressões faciais deixa-os com cara de manequins de cera.

Jogabilidade decepcionante

Um bom FPS que se preze merece um cuidado com a sua jogabilidade, algo que não acontece em Survival Instinct. A mecânica básica de mirar e atirar não apresenta qualquer desafio, já que é fácil demais acertar um headshot. Não é necessário mirar exatamente na cabeça dos pobres zumbis, pois alguns tiros que deveriam atingi-los de raspão ou até mesmo pegar em seus pescoços, contam como tiros na cabeça. O resultando são explosões de sangue e cérebros e pouco desafio para o jogador.

O combate direto também é um fracasso. Facadas, marteladas e outros golpes são aceitos calmamente pelas criaturas. Zumbis não são e nunca foram dotados de inteligência, entretanto sua passividade chega a ser ridícula. Para piorar, quando você finalmente executa um zumbi, ele cai como um tijolo no chão, o que torna a cena cômica.


Imagem

A tragédia se completa com a movimentação artificial dos personagens. A sensação é de que eles flutuam ao invés de andar, tamanha é a falta de sensibilidade. Além disso, correr é uma tarefa quase impossível, pois a mesma alavanca que acessa um menu, ao ser pressionada, faz o personagem correr. A escolha equivocada das teclas causa confusão e atrapalha durante momentos mais críticos do jogo.

Conclusão

The Walking Dead da Activision é o oposto do game, também baseado nas HQs desenvolvido pela Telltale e que rendeu tantos elogios. Com péssimos gráficos e uma jogabilidade decepcionante, o game é um forte candidato a pior jogo do ano.

fonte
 
O Jogo não é tão ruim, mais devido as expectativas dos fãns pelo fato da série ser MUITO FOD/\ causou desagrado pois não fizeram um super jogo.
É legal, mais todos esperavam muito mais !
 
Poxa o jogo era pra ser um dos melhores

agora ta sendo um dos piores =0
 
Parece ser da hora.