•  
     

Videogame tem mais impostos que armas de fogo!

Poucos produtos e serviços são tão impactados pela carga tributária brasileira quanto os consoles e os jogos eletrônicos. Até quem fabrica armas de fogo paga menos impostos do que quem produz PlayStation, Xbox, Wii etc.

72,18% do valor dos consoles no Brasil correspondem a taxas, enquanto um revólver tem a soma de 71,58%. Somente caipirinha (76,66%), cigarro (80,42%), Vodca (81,52%), casaco de pele (81,86%) e cachaça (81,87%) têm cargas mais pesadas que os videogames, segundo relatório do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário obtido pelo Olhar Digital.

Esse é o principal motivo pelo qual o Xbox One vendido por aqui é o mais caro do mundo. Mas o iPad mini, que também chegou ao país com esse título negativo paga apenas 39,12% em impostos, então que outra questão pode encarecer produtos eletrônicos no Brasil? As margens de lucro.

As redes varejistas são quem mais lucram ao vender aparatos tecnológicos - até porque lidam com mais riscos como assaltos, por exemplo -, mas os fabricantes e distribuidores também tiram suas fatias.

De acordo com o diretor de planejamento da IT Data, Ivair Rodrigues, operadoras de telefonia não aceitam vender se lucrarem menos que 25%, enquanto nos Estados Unidos essa margem é de aproximadamente 15%.

"Aqui, dependendo do produto, a margem é superior a 100%", disse ele, ressaltando que dificilmente esse exagero chega aos eletrônicos.

Ou seja, tá mais fácil e mais barato comprar/fabricar armas do que videogames! '-'

Imagem

Créditos: Aline Andrade - Acemprol